Hoje eu queria te contar que tô com saudade.

Eu sei que optamos pela distância mas vou te contar que a vista da minha sacada não está ajudando. Que teus posts nas redes sociais não colaboram. Que o ícone azulzinho ali no canto com a tua foto não me deixa esquecer. E que tua voz nos meus fones de ouvido também não.

Não tô mais acreditando que a distância de certo porque veja bem meu doce, ainda estamos perto e ainda estamos nos querendo perto. E enquanto uma parte de mim fala para te deixar partir -de perto, de mim-, outra insiste em te buscar nas melodias e nos olhares. Aliás, nem o vento me deixa esquecer de nós (eu descobri, meio por intuição meio por desejo) que ele ainda sopra.

Não vou mentir, depois que o choque passou eu chorei; chorei por aquilo que fomos e somos um para o outro, por tudo o que poderíamos ter sido e pelo que não poderíamos ser também. Chorei por te ter e por te deixar ir, mas isso é necessário… Deixar ir é necessário. Isso demonstra que eu ainda tenho controle sobre mim e que não enlouqueci por completo ao te desejar. Ao te amar.

Está escurecendo e o tom rosado da tua casa vai se destacando contra o fundo verde das árvores. E conforme o céu vai escurecendo as primeiras estrelas vão surgindo brilhantes no céu, igual aos teus olhos, aquelas duas pequenas estrelas que eu ainda busco mesmo sem querer. Fazer o quê se aprendi a guiar meus passos sempre buscando o brilho dessas estrelas.

Se eu devesse fazer um último pedido seria o de poder sentir o vento contra o rosto e o brilho das estrelas a me fitar. Estas estrelas. Aquele vento. Aliás, se eu devesse fazer algo deveria ser gritar ao mundo o quanto de quero e o quanto te amo para que, chocados, pudessem somente observar enquanto as estrelas novamente visitassem meu céu.

Mas nem tudo que eu desejo, eu devo. Muito embora nós dois é algo que não deveria, mas que houve. E ainda há. Em algum lugar, perdido entre dois tempos e embalado ao som de latinoamericanidades.

E eu escrevi tudo isso para te dizer que estou com saudades.Poderia ter sido por uma mensagem mas achei mais poético e desnudo te dizer assim.

Me abraça enquanto há tempo, não deveríamos ser tão relapsos com o amor quando sabe-se que a vida pode chegar ao fim a qualquer momento. 

Anúncios