Raramente falo sobre isso mas algumas vezes é tão lindo que ultrapassa os limites do meu não dizer. Essa noite tive um sonho que até acordar e retomar a consciência me parecia estranho: diversas mulheres, amigas e conhecidas, me davam conselhos sobre a vida enquanto eu me arrumava como se para um casamento. Sim, eu era a noiva a receber conselhos.

Foi um sonho lindo.

Várias mulheres, algumas muito importantes para mim, aconselhando-me sobre os mais diversos aspectos da vida e aquele ar de irmandade a amor por todos os lados, eu não poderia entender isso como outra coisa senão os espectros da Deusa a falar comigo.

Hoje acordo, olho o calendário e vejo a data. 02 de Fevereiro. Dia de Iemanjá. Não, meu sonho não foi coincidência e não merece outra explicação que não essa: os Orixás se manifestam e nesta linda noite Iemanjá e Oxum me aconselharam sobre os caminhos da vida, sobre sentimentos, sobre amor.

Meu ano está sendo diferente, meus dias estão sendo diferentes e minha vida está sendo uma grande sequência de luz e amor. E as deusas se fazem presentes em cada um deles.

Passei o dia pensando nesse sonhos e em todos os carinhos que recebi em forma de afagos e recados. Passei o dia mergulhada em mim, mergulhada n’Elas. E mergulhada, vi e revi como e se estou repassando todo esse amor recebido para as pessoas, se estou vivendo a minha fé como ela deve ser vivida: devolvendo todo o amor dos meus Orixás para as pessoas, ensinando-as os valores que me são ensinados e colaborando no crescer espiritual delas.

Parada ou melhor dizendo, mergulhada revi em minha memória cenas que são verdadeiros afagos para o coração, cenas nas quais o amor e o carinho são repassados para o outro em forma de palavras, pequenos ou grandes gestos, canções, toques… Me vi revivendo momentos felizes com pessoas amadas, pessoas que eu já nem lembrava seja pelo correr dos anos ou pela perda a muito tempo.

No final do dia caminhando pela rua após uma longa e louca chuva de verão, olhando de relance o asfalto pereceu-me que ele estava inundado, lembrou-me a areia da praia e o primeiros metro de mar, pareceu-me que, num passe de mágica, eu estava na frente dEla, e agradeci. Agradeci porque consegui perceber que longe ou perto dos seus locais sagrados, as deusas se manifestam em nós. E para nós nos pequenos detalhes.

Agora estou aqui, olhando um lindo arco-íris e escrevendo minha prece em forma de texto: Obrigado mães! Odo ya senhora dos mares e Ora ye ye ô senhora do ouro e da minha vida, obrigado pelos afagos no rosto desta filha que sente e vive vocês no dia-a-dia, longe ou perto dos seus sacros locais.

Anúncios