O que acontece quando aquele casal que todo mundo achava super legal e que era exemplo nas rodas de amigos se separa? Será o fim do amor romântico? Você acha que eles devam continuar juntos porque você precisa ver eles juntos? Vamos meter a colher nesta sopa que não é nossa e conversar sobre os términos – dos outros, claro.

Eles eram o casal 20 no circulo de amizades. Sério, estilo capa de revista mesmo. Tinham aquele ar de família de comercial de margarina e não tem como não imaginar que eles nasceram um para o outro, isso está estampado na cara dos dois. Ai vem a surpresa, eles terminam… MAS QUE HORROR, COMO ASSIM ELES TERMINARAM?!?

2g354r8axrgh8wvtmc5ua4w89
Angelina Jolie e Brad Pitt separam-se ainda no ano passado e a comoção causada nos fãs ofuscou e até disfarçou os motivos que levaram ao fim.

Infelizmente (ou não) aquele casal super massa que parecia “O casal” não é mais um casal e nós temos que aprender a lidar com esta nova situação, que muitas vezes pode ir do constrangedor até o normal.

Toda a situação é nova: os amigos não sabem muito bem como agir, os familiares ficam se perguntando e o ex-casal fica todo perdido entre a dor do término e a pressão feita por todos aqueles amigos, familiares e até o todo da sociedade – este último atingindo principalmente a mulher já que a sociedade em seu formato patriarcal exige que ela tenha um homem E um marido, independente do que ele possa fazer -. Porém é nesse estranhamento que vemos dois comportamentos se destacarem: um onde os terceiros simplesmente aceitam a decisão dos dois e segue-se a vida e outro quando não aceitam e tentam a todo custo juntar novamente os dois.

Este segundo comportamento mostra-se extremamente tóxico e desrespeitoso, afinal de contas, uma relacionamento é bem mais do que nós mostramos para os outros e definitivamente, as motivações para o fim cabem somente para os dois. Meter a colher pode parecer divertido e muitas vezes é necessário – lembrando os casos de violência domésticas – mas acaba transformando o que poderia ser um término normal em algo escandaloso, dramático e traumático, que pode ainda fazer com que o casal (ou ex-casal) mantenha-se em uma relação infeliz somente para agradar à outros.

Os números de violência domésticas registrados no Brasil sobem a cada dia. Hoje estima-se que a cada 9 minutos uma mulher é agredida, contudo muitas destas mulheres preferem continuar em relacionamentos abusivos porque o controle financeiro e as violências psicológicas/emocionais as impede de terminar. Julgar uma mulher por escolher se separar – seja pelo motivo que for – é permitir e incentivar que relacionamentos abusivos continuem.

O melhor a fazer nestes casos é ouvir as pessoas e apoiar suas decisões porque ao meter a colher deste jeito aparenta que estamos mais interessados em nossa própria felicidade ao ver aqueles dois juntos do que saber se ambos estão realmente felizes no relacionamento. É muita inocência nossa – e um pouco de sentimento de superioridade – acreditar que sabemos melhor do relacionamento do outro a ponto de escolher porque e quando eles devem ou não terminar.

Relacionamentos não são simples, pessoas não são simples. Pare de se meter na vida alheia

 Sendo assim, paremos de mete a colher na sopa alheia. Respeitemos nossos amigos, eles devem saber o que fazem com a própria vida e sigamos em frente apesar dos finais.

Anúncios